8 curiosidades de “The Batman”, novo do morcegão com Robert Pattinson

8 curiosidades de “The Batman”, novo do morcegão com Robert Pattinson

Desde o primeiro anúncio de Robert Pattinson como Batman aos memes, zoeiras e dúvidas de que o ator seria a escolha perfeita no papel do vigilante de Gotham, muita especulação foi feita se sua atuação renderia bem nas telinhas, já que alguns fãs insistem em não esquecer os antigos trabalhos do ator – sim, estamos falando da participaçã o do ator como Edward Cullen em Crepúsculo.

Agora que finalmente estamos aqui, sabemos que The Batman não só agradou boa parte do público sendo um sucesso de bilheteria como também já iniciou a produção da sua sequência.

Aproveitando o hype, nós do Pixel Nerd resolvemos reunir algumas das curiosidades sobre o longa que podem te fazer despertar o interesse pelo filme de super-herói incrível de Matt Reeves.

1. Medo de Errar

Em fevereiro desse ano, o ator Robert Pattinson revelou sentir um grande receio em ser um dos piores atores a interpretar Bruce Wayne nas telinhas.

Durante o programa Jimmy Kimmel ele revelou que pessoas diziam a ele o tempo todo que por mais que errasse em algum ponto ele ainda faria parte de algo grandioso, como interpretar o papel de um dos heróis mais populares do DC Universe.

Mas o ator confessou ao público que não gostaria de ser lembrado por isso. Quem aí usa internet desde 2007 e até antes disso sabe que ele ao lado da atriz Kristen Stewart foram muito marcados pelos seus papéis nos filmes da Saga Crepúsculo e que muitas pessoas tiveram trabalho para separa-los dos papéis que se encontravam na época.

Hoje ambos estrelaram em filmes dignos de carreira, ela em Spencer, e ele em O Farol, O Diabo de Cada Dia bem como outros longas de sucesso.

2. Colin Farrell irreconhecível

Muitas pessoas ao verem o nome de Farrell no elenco de The Batman talvez tenham ficado um pouco confusas ao chegar no cinema e não reconhecê-lo em lugar nenhum. Isso porque o ator irlândes estava completamente maquiado para viver o papel do vilão Pinguim nos filmes.

Além da máscara o ator também usou maquiagem e uma touca para esconder o seu cabelo tornando impossível a capacidade do maior fã de Farrell de reconhecê-lo no longa. A atuação excelente também com um sotaque próprio para o personagem foi o que convenceu o diretor Matt Reeves, que não tinha planos de deixá-lo daquela forma, a deixar o ator irreconhecível para o papel.

Vale lembrar que uma série da HBO Max sobre o vilão está sendo produzida com uma história de origem bem para com o universo todo de The Batman. Intitulada The Peguin a produção terá Farrell de volta para o papel.

3. O Batman noir

Que todos os filmes de Batman são frios e cheios de uma atmosfera sombria todos nós sabemos. Além de retratar o universo do Cavaleiro das Trevas na depressiva Gotham assolada pelo crime, todos os longas tratam de ter uma faceta que beire a realidade, seja ela muito exagerada ou próxima da verossimilhança.

Mas em The Batman, Reeves aproveitou para tratar esse ambiente de duas formas. A primeira foi a escolha de paleta de cores que trabalhavam os diferentes tons de cinza e sombriedade até a intensidade do vermelho quase laranja ao azul neon.

Já na segunda forma o diretor bebeu da fonte de inspiração de filmes como O Zodíaco e Seven Os Sete Crimes Capitais tornando o vilão Charada o mais próximo de um serial killer cheio de enigmas e assassinatos que precisavam ser desvendados para dar continuidade a investigação. A pegada noir que tomou conta do longa trouxe um Batman inovador que casou bastante com o estilo pensado pelo diretor.

4. Pandemia

Com a pandemia do coronavírus, muitos filmes sofreram adiações e complicações e até aqueles que tinham trailers divulgados a mais de três anos (estou falando com você, Top Gun: Maverick) tiveram atrasos que foram frustrantes nesses últimos dois anos. The Batman foi uma dessas produções.

O ator Jeffrey Wright que vive o Comissário Gordon no longa estava isolado em quarentenas mais do que gostaria. Segundo Wright o andamento das gravações foi complicado:

“Foi complicado por conta das condições em que estávamos trabalhando. Foi um verdadeiro isolamento para aqueles de nós que estavam longe de casa, fora do país, em Londres. Vivi mais quarentenas do que poderia desejar a alguém nos últimos seis meses. Então, houve muita obstinação para tentar. Estávamos trabalhando no meio do surto tentando proteger a nós mesmos, uns aos outros e à produção. Então exigiu muito.”

Jeffrey Wright

O ator então destacou a união da equipe e o trabalho primoroso de Reeves como fatores que salvaram o elenco nesses tempos sombrios. Por outro lado, Robert Pattinson inclusive testou positivo para o vírus Covid-19 na época.

5. DC Universe

Para os fãs que gostariam de ver o Batman de Pattinson contracenando com o Coringa de Joaquin Phoenix ou até mesmo os outros heróis do universo da DC como a Mulher-Maravilha, Flash ou Superman, uma péssima notícia saiu no começo do ano e era de que a Warner Bros deu total liberdade para o diretor Matt Reeves trabalhar o filme do morcego de forma separada dos outros filmes do universo compartilhado.

Muito embora seria interessante vê-los todos juntos, a ideia de Reeves é de que o Batman de Pattinson seja levada ao extremo em emoções fortes, algo que não caberia em outros filmes do universo expandido. Porém não devemos esquecer que a DC tem um universo vasto a ser explorado com várias séries e filmes que explorem outros heróis, além de dois spin-offs de The Batman retratando a origem do vilão Pinguim e do Departamento de Polícia de Gotham.

No entanto com a notícia recente de que a WarnerMedia e a Discovery estão fundidos e preparando uma revitalização do universo DC podemos esperar por notícias que mudem o cenário atual do DCEU.

6. Cena deletada

O longa do Cavaleiro das Trevas possui uma cena deletada onde Batman se encontra com o maior vilão do seu universo, O Coringa, visitando ele na prisão de Gotham, em Arkhan. Interpretado por Barry Keoghan, a interação entre os dois atores faz parte de uma campanha viral que só dá acesso aos fãs se eles resolverem alguns enigmas do vilão Charada (Paul Dano).

Na cena abaixo podemos ver que ainda novo, o Batman de Pattinson já possui uma história com o Coringa do novo filme, mostrando que o vilão até em determinado momento da conversa consegue entrar na cabeça do herói que foi até ali em busca de respostas.

7. Sonho de infância

Durante o Red Carpet de The Batman, Pattinson revelou em entrevista que quando era pequeno se vestia o tempo todo do herói. “Eu ficaria tão surpreso em saber o que o meu eu da infância pensaria sobre isso”, informou o ator durante a divulgação.

Robert também disse que na época sua fantasia de Batman era do traje usado pelo falecido ator Adam West que protagonizou o herói em um seriado para tv durante a década de 60.

8. Nirvana e Pattinson em mente

Enquanto construía a imagem do novo Batman, Reeves admitiu que pensava no falecido vocalista da banda do Nirvana, Kurt Cobain. A imagem de Cobain, um astro celébre da música, mas que não sabia como conviver em seu meio foram os fatores que o inspiraram a escrever o Batman de 2022 que conhecemos hoje.

Ao mesmo tempo, o diretor também pensava em Pattinson para o papel depois de assistir sua atuação em Good Times, filme dos irmãos Safdie. Isso porque a imagem que ele tinha de Robert era a de que ele era um ator meio longe dos holofotes, tal como Cobain e seu Batman eram.

Em recentes entrevistas o diretor afirmou que se Pattinson recusasse o papel o filme seria um completo desastre, coisa que hoje sabemos que não foi possível graças a preferência do ator por papéis “esquisitões”.

A música Something In The Way inclusive toca no primeiro trailer de divulgação do longa reforçando essa inspiração.

The Batman estreou no dia 3 de março de 2022, arrecadou mais de 100 milhões na bilhteria e se encontra disponível no aplicativo de streaming HBO Max. No elenco, conta com Zoë Kravitz como a Mulher-Gato, Paul Dano como o vilão Charada, Colin Farrell, Jeffrey Wright e Andy Serkins respectivamente nos papéis de Pinguim, Comissário Gordon e Alfred.

Matheus Martins

Escritor, 25 anos, apaixonado por literatura e Stephen King. Teve um exemplar jogado na própria cabeça como incentivo e hoje afunda a cabeça em cubículos do Call Center. À noite, as máquinas ligam e ele dá vida às palavras e histórias que alugam um triplex na sua cabeça.