Criadores de Stranger Things irão dar vida a novo live-action de Death Note

Criadores de Stranger Things irão dar vida a novo live-action de Death Note

O famoso anime Death Note irá receber outra produção live-action da Netflix, dessa vez nas mãos de ninguém menos que os irmãos Matt e Ross Duffer, criadores de Stranger Things, série de sucesso da plataforma atualmente.

Esse é o segundo projeto de adaptação para o streaming da obra de Tsugumi Ohba. O primeiro, feito em 2017, foi um filme estrelado por Nat Wolff, William Dafoe e Lakeith Stanfield.

A pésima repercussão do longa, que demonstrava uma versão americanizada de Light Yagami, personagem dos animes, foi motivo da rejeição pelo filme por grande parte do público que esperava por uma versão mais “fria e calculista” do personagem já conhecido e admirado pelos fãs.

Agora, a Netflix retoma o plano de explorar o universo do mangá nas mãos dos Duffers.

(Reprodução: Internet)

Na obra original, Death Note conta a história de Light, um jovem inteligente que ao encontrar um caderno preto descobre a existência de um mundo de shinigamis. Ryuk, um shinigami, explica ao jovem que o caderno possui o poder de matar qualquer pessoa cujo nome estiver listado nele.

Seduzido pelo poder do Death Note, Light começa a fazer justiça com as próprias mãos alegando que dessa forma se tornará um deus do “novo mundo”. Ao mesmo tempo, seu pai entra para uma força tarefa especializada que busca prender o justiceiro responsável por essas mortes, o Kira.

Na internet, alguns fãs reagiram a notícia. Confira:

Com a conclusão da 5ª temporada de Stranger Things, os irmãos Duffer estão desenvolvendo três novas produções futuras além de Death Note: uma série derivada de Stranger Things, uma peça de teatro inspirada na série e uma adaptação de O Talismã, obra de Stephen King com Peter Straub.

Death Note possui uma única temporada com 37 episódios e pode ser assistida tanto na Netflix quanto na HBO Max.

Matheus Martins

Escritor, 25 anos, apaixonado por literatura e Stephen King. Teve um exemplar jogado na própria cabeça como incentivo e hoje afunda a cabeça em cubículos do Call Center. À noite, as máquinas ligam e ele dá vida às palavras e histórias que alugam um triplex na sua cabeça.