Life is Strange 2 é melhor que LIS 1?

Life is Strange 2 é melhor que LIS 1?

Life is Strange 2 chegou no ano passado (2018) e, desde então, tem passado por fortes críticas negativas da comunidade formada a partir do primeiro jogo.

Para essas pessoas, Life is Strange 2 não pode ser comparado com a história de Max e Chloe, que seria inalcançável.

O sucesso da primeira edição é inquestionável, foi um jogo surpreendente que conseguiu conquistar muita gente ao redor do globo e colocar a Dontnod em outro patamar.

Comparando LIS 1 e Life is Strange 2

Mas será que o segundo jogo é pior, ou até mesmo inferior que ele?

Abaixo eu listo os argumentos de algumas pessoas e dou a minha opinião sobre cada um deles.

  • Os personagens de LIS 1 são muito mais carismáticos:

    O que leva um personagem ser mais carismático que outro? Quando nos identificamos com alguém, ou algo, tendemos a criar uma relação imaginária e entender melhor a ficção.

    Max, Chloe, Rachel, Warren e todos os outros daquele universo são realmente jovens e vivem em um ambiente escolar, muito familiar para a fan base do jogo.

    Isso significa que muitas pessoas se identificaram com os problemas passados e enfrentados naquela ambientação, o que entendo perfeitamente, já que eu mesmo fui uma delas.

    Com isso, a temática escolar faz com que tenhamos uma aproximação maior, naturalmente.

    O segundo jogo, por sua vez, tem uma temática muito mais complexa e distante do público da fan base.

    Traz personagens que sofrem xenofobia, com traços nativos americanos, em uma tensão política crescente pelo governo de Donald Trump e a temática é completamente outra.

    Dessa vez, os criadores resolveram tratar da criação de um filho, da relação materna/paterna e os efeitos de cada detalhe ensinado à alguém.
Sean com o seu irmão capetinha conhecido também por Daniel
Sean com o seu irmão capetinha conhecido também por Daniel

Já conhece a Academia Blackwell?
O maior site de Life is Strange do Brasil

  • É quase como se fossem públicos completamente diferentes, quem gostou de LIS por se tratar de uma temática adolescente e escolar, não gostará de LIS 2 pelo mesmo motivo.

    Daniel e Sean são personagens mais distantes, é mais difícil de entende-los, um número menor de pessoas terá uma identificação com eles.

    Dessa forma, acredito que essa é explicação para tanta reclamação quanto ao carisma dos personagens.

    Eu tenho como certo que Life is Strange 2 teria muito mais sucesso se continuasse a temática escolar, ou adolescente, mas não é isso que os criadores querem fazer.

    Segundo eles, LIS é muito mais sobre contar histórias, sobre falar da vida com uma pitadinha de “estranho”.

    Não se surpreenda se criarem LIS 3 na guerra, em uma cidade do interior, em NOVA IORQUE… Ou qualquer outro lugar aleatório.

    Porque, no fim, não importa o lugar e nem os personagens, mas sim a história que eles querem contar.

    Acredito que os Daniel e Sean são personagens com um menor apelo popular, e é exatamente por isso que foram escolhidos, faz parte da mensagem.

    Se você não entendeu isso, você não conhece o suficiente sobre os criadores do jogo e nem sobre a proposta do novo jogo.
A menina do poder em uma selfie irada com a escola Blackwell no fundo
  • A trilha sonora é muito menos carismática:

    Imagine o seguinte: uma pessoa apaixonada por música clássica. Mozart, Beethoven e toda essa galera.

    Agora imagine que você é fã de funk e tem que convencer Anita e MC Kevin são muito melhores que os artistas clássicos. Você não vai conseguir.

    O que faz com que uma música passe um sentimento bom e seja considerada incrível, é justamente o fato de ela conversar com você, tocar você no íntimo.

    Se a música de Life is Strange 2 não teve esse efeito em você, não quer dizer que seja pior, só quer dizer que não teve nada a ver contigo.

    Se você é o tipo de pessoa que está dizendo isso, provavelmente não está curtindo a história como um todo.

    A música geralmente ajuda a marcar momentos fortes (além de carregar a narrativa).

    Quando lembramos de uma música nostálgica, imediatamente lembramos da época em que escutávamos tal faixa.

    Se você não está curtindo a história do novo jogo, dificilmente a música vai ficar impregnada na sua cabeça.
  • A história do primeiro jogo é bem melhor:

    Primeiro. O segundo jogo nem terminou (no momento em que escrevo isso), o que quer dizer que tem muita gente julgando uma obra incompleta.

    E segundo… Já parou para pensar que a sua experiência com Max e Chloe não anula sua jornada ao lado de Daniel e Sean?
HQ de Life is Strange

E são esses os principais argumentos que encontrei por aí.

O abandono das protagonistas do primeiro jogo só mostram como os criadores da Dontnod pensam muito diferente da fan base que acabaram criando.

Apesar de serem orgulhosos da obra, muitas pessoas simplesmente não conseguem entender do que a série LIS se trata.

Life is Strange 2 é um fracasso?

Não falhou.

Mas, em todo caso, o estúdio não está preocupado com isso e seus depoimentos em entrevistas e posts no blog oficial só mostram que é uma galera que não será atendida nos próximos jogos.

Vamos ver, se tudo apertar, eu não duvido que eles apelem para mais uma história com a menina do poder e a do cabelo azul para tentar conseguir uma grana e salvar a franquia.

Resta esperar para ver.

Outro detalhe importante é que LIS 2 chegou em uma época em que estamos acostumados a receber conteúdo com frequência.

Esperar meses para um próximo episódio já não é mais aceitável da mesma forma que era em 2015 quando começou a franquia. Sinto que isso está pesando bastante na avaliação dele.

Na minha opinião, os dois se equivalem e trazem histórias diferentes das que estamos acostumados.

Desencorajar esse tipo de jogo é um crime nos tempos atuais.

Acredito, no entanto, que o modelo de jogos episódios vai acabar mudando, como já comentou o cara que comprou o estúdio da Telltale.

Redator Pixel

Escrito com carinho por um dos nossos melhores redatores :)