Metaverso: 5 Empresas que estão investindo milhões na tecnologia

Metaverso: 5 Empresas que estão investindo milhões na tecnologia

O futuro está em empresas que apostam em altas tecnologias, em aparelhos e dispositivos top de linha fazendo frente ao mercado atual gráfico.

O bilionário Elon Musk e suas empresas apontam para um horizonte de inovações que, se bem sucedidas, podem impactar nossas formas de vidas, nossos costumes e culturas diretamente.

Aqui apresentaremos uma coleção de temas e materiais sobre produtos e grandes corporativas e o que elas estão fazendo atualmente para aprofundar as linhas entre o nosso mundo que agora é tanto físico quanto virtual.

Confira agora quatro temas para se aprofundar nesse universo diverso e interessante!


O mundo que conhecemos está mudando – ou melhor, sendo lentamente transportado para o virtual.

A importação de elementos, funções e até mesmo cargos da nossa vida real para o mundo digital não é novidade para ninguém que não esteja vivendo debaixo de uma pedra na última década.

Mas o investimento em milhões de empresas nessas novas tecnologias podem ter um grande impacto em nossas vidas, além de abrir uma janela para futuras tendências.

Desde a experiência RV (Realidade Virtual) em jogos de videogame para aumentar as opções de jogadores bem para com seus avatares até a exploração de eventos, shows e conferências onlines proporcionada pela RA (Realidade Aumentada), o METAVERSO nada mais é que uma rede de compartilhamento que promove interações à distância ilimitada, exigindo apenas a conexão remota de dados.

Seu mundo não visto (ou às vezes espelhado ao nosso) pode ser visitado, explorado ou – como veremos em alguns exemplos abaixo – ter seus domínios alugados por grandes corporações que querem investir no grande mercado de uma forma diferente.

Confira abaixo algumas das empresas gigantes que estão investindo no conceito de metaverso:

1. Facebook

Uma das mais famosas – se não a pioneira – empresas voltadas para as redes sociais decidiu colocar boa parte do seu capital em um investimento de cerca de US$ 50 milhões (o equivalente a R$ 277 milhões de reais convertidos) na construção de um ambiente sincrônico e híbrido como o METAVERSO nos seus próximos anos de atividade.

Em entrevista ao site americano, The Verge, Mark Zuckerberg prometeu uma completa imersão dos usuários na futura experiência de forma que as pessoas se sentir incorporadas na plataforma enquanto interagem em jogos de realidade virtual, assistem a um programa juntos, testam produtos novos perfeitamente trabalhados para se parecerem com os da nossa vida real, como carros e roupas de marca.

Alguns exemplos desses recursos são as Mensagens VR para ajudar a conectar as pessoas de uma forma imersiva, o Projeto Cambraia com o uso de fones de ouvido compatível com óculos de Realidade Virtual além do Horizon Marketplace onde a negociação de mercadores poderá performar de maneira completamente digital enquanto vende seus ativos.

Embora ainda um grande alvo de desconfiança desde o roubo de dados e informações pessoais em eleições pelo mundo todo, a empresa acredita na tecnologia como o grande futuro/marca registrada da companhia (tal como mostrado no anunciamento do Facebook Meta, no ano passado), apostando na filosofia do gathering (reunião ou ajuntamento, em inglês) e na expansão do uso das famosas Bitcoins.

Apesar da carência de informações sobre o próximo passo da empresa, pesquisadores apontam que os brasileiros tem boa disposição para engajamentos em shows e atividade corporativas, tal como mostrado na chuva de eventos culturais propagada no início da pandemia em 2020 com cantores sertanejos e famosos e na explosão de vagas home offices em diversas áreas de trabalho.

De todas as empresas engajadas no lançamentos de tecnologias RA ou RV, o Tinder é uma das protagonistas mais interessantes dessa empreitada tecnológica.

Isso porque a sua função principal – voltada especialmente para relacionamentos amorosos – performaria de uma maneira curiosa ou até considerada absurda em termos de ressignificacao em uso virtuologico.

Segundo a CEO do aplicativo,  Renate Nyborg, a nova adaptação prometeria uma experiência além de paqueras que envolvam sentidos como o toque, promovendo eventos e ações no mundo virtual para que os usuários possam levar a palavra “encontro” a outro nível.

Nyborg anunciou o teste ferroso da empresa no recurso Explorer e o planejamento de uso de Crypto Moedas para serviços Premium que compensem aqueles que tiverem um bom comportamento dentro da plataforma.

Esse movimento significaria uma espécie de “mercado aberto” novo e amplamente divulgado para o Tinder, abrindo espaço para possibilidades de divulgação de estabelecimentos que copiaram os da vida real como bares e casas de show, além das já tradicionais apresentações de artistas musicais que estão sendo bastante comuns em videogames com a mesma tecnologia.

2.Tinder

Renate foi ainda mais além e informou que uma das maiores promessas do aplicativo com a fusão do Metaverso envolve o apagamento da fronteira entre o mundo offline e online, promovendo relacionamentos mais híbridos entre as pessoas.

Sim, o maior parque de diversões em Orlando também está procurando teletransportar a sua terra – boa parte dela, de fato – nessa nova e ainda não definida internet.

Trabalhando em dispositivos que resultem na imersão virtual dos visitantes, a Disney dará aos entusiastas do parque a oportunidade de presenciar a união de conteúdos relevantes tanto para a experiência VR quanto para a física.

Conhecendo uma das maiores empresas mais antigas desse mundo, pode-se esperar um verdadeiro show com efeitos de tirar o fôlego e imersões que realmente surpreendam todos os veículos de notícia.

Embora ainda não haja nenhuma informação exata de como o Metaverso, um universo ainda a ser criado, comportaria as grandes produções, o uso de rastreamento de aparelhos celulares na proximidade e os simuladores de realidade em 3D nas paredes e objetos espalhados pelo parque.

3.Disney

Previsto ainda para o primeiro semestre desse ano, o investimento da Microsoft nas salas Team podem ser uma das revoluções mais ambiciosas e eficientes dessa lista.

A empresa mirou em alternativas que vão além da idealização e que expandem o acesso a uma realidade mista com várias opções.

Graças ao Mesh, recurso anunciado  no começo desse ano, os usuários de salas de reuniões não serão mais obrigados a ligarem as câmeras, optando por usarem avatares em 3D animados para se comunicar com outros participantes ( até mesmo em 2D se não obtiver os dispositivos).

4.Microsoft

O personagem tem a capacidade de usar a voz do usuário com uma tecnologia IA que a imita, além de executar gestos animados como levantar a mão e outras funcionalidades.


A empresa também está investindo milhões em um multi-acesso de jogos para diversos dispositivos e na criação de uma Bitcoin própria para chamar de sua.

Uma invasão fashion!

Mas não são apenas as redes sociais, aplicativos de relacionamento e parques de diversões com grandes efeitos que querem expandir seus produtos em uma realidade aumentada ou virtual.

A Adidas, marca de tênis e roupas superpopular entre celebridades e artistas, também ocupou seu lugar no pódio!

5. Adidas


Em novembro do ano passado, a Adidas anunciou pelo Twitter a sua parceria com a plataforma de jogo The Sandbox para o desenvolvimento do seu Metaverso dentro do multiverso.

O movimento causou uma subida de mais de 30% no envolvimento de criptomoedas, colocando a SAND, moeda própria do jogo, no topo da cadeia de mercado Cripto.

Sendo assim, foi anunciado o adiVerse  – um multiverso VR criado para divulgação de produtos exclusivos da marca, como skins, designs e todo tipo de material exclusivo da Adidas a ser usado pelos usuários dentro do jogo.

É que a empresa está se adaptando aos populares NFTs (Tokiens não-fungiveís, em português) que inclusive já foram adquiridos pelo próprio Neymar.

O jogador de futebol ano passado causou um rebuliço na internet ao divulgar a sua plataforma no Twitter que havia feito uma compra de US$ 1 milhão em dois NFTs raros pertencentes a um grupo exclusivo de milionários e bilionários.

Tá na cara que não é só sobre isso. Tokiens, terrenos virtuais e macacos entediados raros.

A empresa desenvolveu uma filosofia com o investimento, buscando definir sua forma nesse novo mundo ainda a ser mais explorado e definido, procurando estabelecer seu próprio nicho antes de qualquer outra empresa e é interessante ver como tudo funciona como uma corrida para essas corporações.

Redator Pixel

Escrito com carinho por um dos nossos melhores redatores :)