Os 5 primeiros jogos em Unreal Engine 5

Os 5 primeiros jogos em Unreal Engine 5

A tecnologia da Epic Games tem sido referência na entrega de melhores gráficos e jogabilidade em games, além de se sobressaído com sua linha de Engines nos últimos anos. Nada pode ser diferente com o Engine 5, o novo motor de jogos atualizado que vem obrigando muitas produções a se adaptarem para o que pode signifcar ser o futuro do mundo dos jogos daqui para frente.

Sendo mais do que apenas do que um processador de imagens e dados, o Unreal Engine 5 veio para aprimorar a fotografia e aumentar a dimensão de como objetos são trabalhados no mundo virtual, aumentando a experiência gamer de uma forma mais rica e renderizada que jamais foi vista antes.

Desde títulos atualizados para não ficarem atrás no avanço tecnológico a jogos ainda não confirmados, conheça os 5 primeiros jogos em Unreal Engine 5!

1. Fortnite

O épico Fortnite tem sido um dos mais bem-sucedidos lançamentos dos últimos anos e se instaurado na memória recente da cultura-pop. Com o lançamento do seu 3º capítulo que expande muitas àreas do game, o jogo trocou a Unreal Engine 4 pela Unreal Engine 5 se tornando assim o primeiro a oficialmente rodar a tecnologia.

Em um novo passo aprimorado, os players agora irão receber a destrutibilidade com maiores detalhes físicos como maior prejuízo da mecânica, cortes de troncos e destroços ao redor de tornados, só para citar algumas das qualidades. Apesar da novidade sistêmica não apresentar muitas novidades no funcionamento do jogo, isso pode mudar com os próximos capítulos a serem lançados onde será possível usar os dois recursos Lumen e Nanite para trabalhar a luminosidade de forma mais realística enquanto se intensifica gloriosamente a geométrica de objetos vistos próximos que agora parecerão visualmente infinitos.

2. The Matrix – Awakens

Ainda não lançado oficialmente, a demo de The Matrix Awakens veio para demonstrar os detalhes do futuro como um aperitivo para os players em busca de um sneak peak do sistema recente antes de seu lançamento em outros jogos. Em parceria com a Warner Bros e outros estúdios de criação – além dos próprios engenheiros por trás da Engine 5 -, a Epic Games desenvolveu o produto de forma gratuita com um trailer de 11 minutos refletindo o caminho que a franquia levou até os avanços tecnológicos do mundo dos videogames.

Estrelado por Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss reprisando seus papéis, o demonstrativo revelou detalhes que não deixam de chocar. É possível ver, enquanto se anda pela cidade ou tira uma foto, a riqueza com que as simulações são rodadas tanto na luz que consegue reproduzir sombras perfeitas, iluminação indireta e reflexos quanto na firmeza de detalhes que apresenta manchas, arranhões e marcas de ferrugem. Esses efeitos se dão possíveis pela velocidade de leitura dos SSDs (Unidades de Estados Sólidos, em português) que transita uma criação de imagens instantaneamente em 4K sem interrupções no carregamento que geralmente sofreria com legs.

Outro sistema que renova e transmite novos detalhes da mesma ação é o Chaos, que por exemplo pode simular um acidente de carro pode com ainda mais ângulos do que na primeira batida, sempre renovando e apresentando as infinitas caracterísicas a cada vez que a ação é feita de novo e de novo.

Outro grande ponto interessante é a variedade de carros e pedestres diferentes e a densidade com que conseguimos vê-los mesmo à distância mesmo que não tenhamos qualquer tipo de interação com eles (apesar de, no caso dos carros, termos sim a capacidade de dirigí-los) dando um sentido de mais longiquidade demográfica.

3. Hellblade 2: Senua’s Saga

Senua’s Saga: Hellblade 2 estará disponível para Playstation 5, Xbox Series X e PC assim que acabar de desenvolver seus últimos detalhes técnicos. De acordo com Tameem Antoniades, diretor crativo do jogo, a equipe está criando o que uma montagem do que parece representar “grande porção do game” e será um dos primeiros (depois de Fortnite) a apresentar a UE em sua jogabilidade. No trailer conceito, podemos ver a personagem principal, Senua, com feições realístias no rosto e o acabamento em 3D com que está sendo usado para construir o design do jogo todo.

A continuação do game que começou em 2017 apresenta Senua, uma guerreira celta que parte em busca da alma de seu amado Dilion no submundo. Uma vez lá, a nórdica luta contra traumas e fantasmas do seu passado e contra a própria mente que apresenta diversos obstáculos durante sua jornada. Na sequência, Senua é atormentada pela figura de Hella, a Deusa nórdica do reino da Morte, e suas aparição no rosto de um gigante que ataca seus aliados celtas.

O jogo de mundo aberto abre uma janela para o software de novidades apresentando uma física admirável em roupas, captura de rosto perfeitamente localizada durante a movimentação, iluminação volumétrica e fotogrametria. Elementos que, casados com engenharia de ponta, deixam o game que tem como base a exposição de elementos no escuro e atmosfera atormentada com qual a personagem é cercada, uma experiência mais rica e desenvolvida para aventuras do gênero.

4. S. T. A. L. K. E. R. 2 – Heart of Chernobyl

Esse jogo de estilo survivor da GSC WORLD está com estreia prevista para 8 de dezembro de 2022 e conta em seu pano de fundo a área exclusiva de Chenobyl em uma área de sobrevivência cheia de criaturas com as quais você deve lutar para sobreviver ao estilo Resident Evil. O jogador em primeira pessoa pode esperar pelo uso da fotogrametria e efeitos de iluminação com Ray Tracing na qualidade do game, além do uso de caixa de ferramentas para NPCs.

Prometendo uma narrativa não linear dentro dos acontecimentos, as escolhas do player influenciarão diretamente em pequenos a grandes eventos dentro do jogo.

5. Black Myth: Wukong

Baseado na obra chinesa Jornada ao Oeste de Wu Chengen, Black Myth: Wukong é um jogo da desenvolvedora Game Science onde o player entrará na pele do macaco-lutador, Sun Wukong, na batalha contra lutadores e criaturas mitológicas da cultura oriental.

O jogo já tem causado bastante burburinhos graças a sua direção de arte e iluminação perfeita em superfícies de gelo e florestas cujas biomas são predominamente dominadas pela neve, além da forma como trabalha os diferentes movimentos em luta tanto para o personagem principal como para os NPCs com o que demonstram fluídez em combates.

O ambiente do game parece ter grandes senso de escala, cortesia da tecnologia UE, que trabalha nos traços e diferentes expressões faciais do misterioso monge-macaco dignas de tirar fôlego. O jogo tem previsão de estreia apontada para 2023.

Matheus Martins

Escritor, 25 anos, apaixonado por literatura e Stephen King. Teve um exemplar jogado na própria cabeça como incentivo e hoje afunda a cabeça em cubículos do Call Center. À noite, as máquinas ligam e ele dá vida às palavras e histórias que alugam um triplex na sua cabeça.