Vampyr: tudo o que você precisa saber sobre o novo game da criadora de Life is Strange

Vampyr: tudo o que você precisa saber sobre o novo game da criadora de Life is Strange

O estúdio francês Dontnod é conhecido pelo seu trabalho com Life is Strange, o premiado drama adolescente que foca em problemas da vida e traz uma narrativa densa e cheia de escolhas. O próximo projeto da desenvolvedora é Vampyr, que segue um caminho mais sangrento: o jogador incorpora um médico que se tornou vampiro e tem que lidar com os dilemas de sua maldição.

O game será lançado nesta semana e como fãs do trabalho da Dontnod, trazemos aqui um apanhado de informações sobre o game para você se preparar para encará-lo!

Diferente e parecido com outros games da Dontnod

Antes de mais nada, é importante destacar que, logo de cara, Vampyr é bem diferente de outros projetos da Dontnod. O estúdio francês foi fundado há 10 anos e possui duas grandes produções no seu catálogo, o aclamado Life is Strange, feito em parceria com a Square Enix, e Remember Me, lançado junto com a Capcom em 2013.

Remember Me marcou a estreia do estúdio com uma trama envolvendo roubo de memórias e gráficos de qualidade para época, mas uma jogabilidade que acabou não agradando todo mundo.

Vampyr está sendo feito na Unreal Engine 4
por uma equipe de 80 pessoas

Life is Strange, por outro lado, não agradou tanto nos quesitos técnicos (eita sincronia labial ruim), mas abocanhou o coração de muitos jogadores em 2015 com sua narrativa episódica e focada em dramas da vida cotidiana. O sucesso foi tanto que já temos uma sequência confirmada e um spin-off já lançado.

Olhando para o que temos até agora, Vampyr mostra que pretende ser diferente de tudo o que a Dontnod já fez, mas trazendo o aprendizado deixado pelos títulos anteriores. Apesar do primeiro trailer com gameplay mostrar animações assustadoras, no mau sentido, espera-se que isso seja resolvido no lançamento final.

Feito na Unreal Engine por uma equipe de cerca de 80 pessoas, o jogo tinha lançamento marcado para 2017, mas acabou sendo adiado para este ano, o que deu um tempo extra para polimentos.

Enquanto Remember Me tinha um foco maior na ação e Life is Strange era pura narrativa, Vampyr trará uma mistura desses dois mundos com uma história cheia de ramificações que utiliza mecânicas de RPG de ação para andar.

Um RPG de ação sobrenatural

A história de Vampyr se passa na Inglaterra, em 1918, e acompanha o médico Jonathan Reid, que tem dois grandes problemas para enfrentar: uma grave epidemia que dessola Londres e o fato de que agora é um vampiro sedento por sangue.

O game será um RPG de ação e vai se aproveitar dos ganchos da história para oferecer um gameplay variado, segundo a desenvolvedora. Em um vídeo com mais de 50 minutos de gameplay, disponível abaixo, os desenvolvedores falaram um pouco sobre as mecânicas envolvidas em Vampyr.

Como médico, o jogador poderá utilizar suas habilidades para ajudar a população da cidade, dizimando a doenças e ajudando a tornar os cidadãos mais saudáveis. Além de ser um bom samaritano, o esquema também ajuda o lado monstruoso do jogador, que poderá usufruir de sangue mais limpo e nutritivo ao assassinar pessoas.

População saudável significa sangue mais nutritivo

Na parte de vampiro, o jogador poderá controlar habilidades sobrenaturais que dão força extra, teletransporte e controle mental. Reid também é capaz de ver informações de saúde de personagens com base em suas correntes sanguíneas, o que permite distinguir vítimas doentes e saudáveis com facilidade.

Fazendo as mortes mais cautelosas, o jogador poderá evoluir suas habilidades de forma mais rápida e sem levantar suspeitas ou acabar causando transtornos na cidade, que praticamente terá vida própria.

Grande foco na narrativa

Um elemento trazido de Life is Strange para o novo game são os diferentes caminhos para a narrativa. Além de cuidar do estado físico dos moradores de Londres, o vampiro também pode buscar pistas sobre cada pessoa da cidade.

Segundo a Dontnod, o jogador estará livre para matar ou poupar quantos e quaisquer personagens que desejar. Isso fará com que os poderes de Reid evoluam, porém, cada morte pode afetar a narrativa do game.

Você poderá matar (ou poupar) quantas pessoas quiser

Além de trazer diálogos com diferentes escolhas de fala, o game contará com um sistema que “conecta cada cidadão como parte de uma rede social”. Com isso, a morte de um NPC afetará a vida de outros personagens e, consequentemente, a narrativa da cidade.

“Em Vampyr, não é sobre “eu mato”, mas “quem eu mato?”. Encontros mortais atormentam a jornada do médico, e cada cidadão oferece uma fonte tentadora de poder … mas haverá consequências”, afirma a desenvolvedora na Steam.

De acordo com a Dontnod, os quatro distritos principais do game contam com “status de vida” indicando a saúde e número de personagens mortos. Com as mortes aumentando e afetando outras pessoas, consequências como aumento nos preços e doenças começam a aparecer.

A desenvolvedora promete diversas possibilidades na narrativa que envolve a cidade. Com isso, mesmo que todos os quatro distritos sejam dizimados, com habitantes mortos permanentemente, ainda será possível  completar o game. “Sua imprudência o recompensará com o final que merece”, alerta a Dontnod.

Não roda em qualquer PC

Vampyr já está disponível para compra no PS4, Xbox One e também no PC, por meio da Steam. Para quem joga no computador, porém, os requisitos não são tão amigáveis.

Quem quiser rodar o game com o mínimo de qualidade esperado terá que usar uma placa de vídeo de entrada, como a GTX 1050. Além disso, são necessários pelo menos 4GB de memória RAM para suportar o game.

Abaixo, você confere os requisitos mínimos e recomendados para jogar Vampyr na Steam:

Requisitos Mínimos
SO: Windows 7/8/10 (64 bits)
Processador: Intel Core i3-2130 (3.4 GHz)/AMD FX-4100 (3.6 GHz)
Memória: 8 GB de RAM
Placa de vídeo: 2 GB, GeForce GTX 1050 (Legacy GPU: GeForce GTX 660) / Radeon R7 370
Armazenamento: 20 GB de espaço disponível

Requisitos Recomendados
SO: Windows 7/8/10 (64 bits)
Processador: Intel Core i7-3930K (3.2 GHz)/AMD Ryzen 5 1600 (3.2 GHz)
Memória: 16 GB de RAM
Placa de vídeo: 4 GB, GeForce GeForce GTX 970 / GTX 1060 / Radeon R9 390
Armazenamento: 20 GB de espaço disponível

https://www.youtube.com/watch?v=-lZN4yYKFak

Redator Pixel

Escrito com carinho por um dos nossos melhores redatores :)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.