Epic Games se envolve em treta que pode começar “guerra civil” entre Unity e Unreal Engine 4

Epic Games se envolve em treta que pode começar “guerra civil” entre Unity e Unreal Engine 4

Se você joga videogame, possivelmente conhece os nomes Unreal Engine 4 e Unity. Os dois motores gráficos são as tecnologias por trás de diversos games amados da atualidade e comumente convivem de forma pacífica, mas isso pode mudar em 2019. O ano mal começou, mas a Epic Games, dona da UE4, acabou entrando em uma treta envolvendo a maior rival, e isso pode acabar tomando grandes proporções.

Tudo começou graças ao SpatialOS, uma tecnologia feita pela empresa Improbable que facilita a vida de desenvolvedores Unity que trabalham em jogos online. No dia 10 de janeiro, a companhia anunciou que o serviço poderia ser bloqueado no motor gráfico por causa de uma “atualização dos termos” de uso da Unity.

A notícia gerou um baque gigante, pois além de não trazer muitas explicações, acabou deixando jogos como Lazarus e Worlds Adrift em um limbo, com os desenvolvedores sem saber se iriam conseguir dar continuidade aos seus games. Após o pânico ser instaurado em quem usa Unity e SpatialOS, a equipe responsável pela engine publicou um comunicado dizendo que ia ficar tudo bem, além de jogar aquele shade para a outra empresa.

Em seu blog, a Unity disse que os desenvolvedores que usam SpatialOS não serão afetados, mas que não está mais andando de mãos dadas com a Improbable. “Nós terminamos nossa relação com a Improbable devido a uma falha de negociação após eles violarem nossos Termos de Serviço”.

Para fechar de vez com o assunto, a Improbable publicou um novo comunicado no dia 11 dizendo que a culpa de toda a confusão era da Unity, que não deixou claro seus termos de uso. A dona do motor gráfico (ainda) não respondeu a publicação, mas outra empresa resolveu se meter na briga: a desenvolvedora da Unreal Engina 4.

Entra a Epic Games

No mesmo dia em que a Improbable jogou a culpa de toda a confusão pra cima da Unity, a Epic Games anunciou uma parceria com a desenvolvedora do SpatialOS para criar um fundo de US$ 25 milhões, que será utilizado para auxiliar desenvolvedores que estão a fim de migrar para “engines mais abertas”.

“Esse dinheiro virá de uma variedade de fontes, incluindo o Unreal Dev Grants, o fundo de assistência ao desenvolvedor da Improbable e da Epic Games Store”, diz o comunicado.

Eu não sei se você percebeu, mas claramente está acontecendo alguma coisa big aqui. Logo após tretar com a Unity, a Improbable anuncia um fundo de investimento para desenvolvedores abandonarem o motor gráfico. Tudo isso em parceria com a Epic, que é dona da Unreal Engine 4 e recentemente abriu uma loja cheia de vantagens para indie devs.

O fim de semana já passou e ainda não tivemos novidades da “feud” das engines, mas se a Unity ver a atitude da Epic Games como um ataque, pode ser que tenhamos uma “guerra cvil” entre os dois maiores motores gráficos da atualidade.

Como isso pode acabar? Já imaginou se a Unreal começa a usar toda sua grana vinda de Fortnite para trazer tornar serviços abertos apenas exclusivos da UE4? É um cenário extremamente apocalíptico, mas se levarmos em conta o quanto a Epic Games cresceu em dois anos, é difícil dizer que as coisas são impossíveis para a empresa.

Enquanto não temos desdobramentos, o negócio e esperar e torcer para que as empresas voltem a ser amiguinhas, ou pelo menos não se odeiem tanto a ponto de prejudicar a indústria de games.

Redator Pixel

Escrito com carinho por um dos nossos melhores redatores :)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.