Os 5 melhores jogos indies de 2021

Os 5 melhores jogos indies de 2021

Os famosos jogos indies, ou independentes, estão a todo vapor ganhando muito espaço no mundo dos games e caindo no gosto de muitos jogadores. Mas afinal, quais os melhores jogos indies de 2021? Para saber, fique conosco.

Com o passar dos anos, criar jogos se tornou cada vez mais acessível, principalmente com a chegada da internet e de sites de apoio coletivo como Kickstarter, Catarse ou Apoia.se. Com isso pessoas ou pequenos grupos de desenvolvedores começaram a criar seus jogos com apoio dos jogadores e ganharam popularidade.

Assim surgiu um grande volume de jogos indies, que nada mais são que jogos feitos por uma pessoa ou equipe pequena, sem muito dinheiro e às vezes até sem distribuidora, dependendo dos fãs para juntar fundos para o projeto. 

Geralmente esse tipo de jogo foca em criatividade e diferencial trazendo diversas ideias inovadoras para o mercado, seja em jogabilidade e/ou gráficos. Existem jogos indies de todo tipo de gênero, porém, o mais comum de se encontrar são os do gênero Plataforma, Run and Gun ou Metroidvania.

Os 5 Melhores jogos indies de 2021

Corvinho encarando guardião em Death’s Door| Divulgação/Devolver Digital

Nesta lista, nós do Pixel Nerd separamos 5 dos melhores jogos indies de 2021, trazendo um pouco de variedade. Claro que há muitos jogos que ficaram de fora da lista, e que podem ser adicionados futuramente, mas esses com certeza são os 5 dos mais criativos jogos independentes que vimos este ano. Confira nossa lista!

1. Chicory: A Colorful Tale

Chicory: A Colorful Tale foi desenvolvido por um pequeno grupo de desenvolvedores formado por Greg Lobanov, Lena Raine, Em Halberstadt, Alexis Dean-Jones e Madeline Berger, e foi distribuído pela publisher Fiji.

Chicory, uma renomada artista que tinha um pincel mágico, mas certo dia desapareceu junto de todas as cores da Província do Piquenique deixando apenas seu objeto mágico. Agora cabe a você, um cachorro com o pincel trazer as cores de volta pintando tudo o que puder.

O jogo apresenta um estilo diferente, como se tivéssemos em um livro de colorir, usando e abusando da criatividade do jogador. Chicory: A Colorful Tale conta com puzzles, colecionáveis fazendo da pintura a principal jogabilidade.

O game foi feito na engine Game Maker: Studio 2, chegando no dia 10 de julho para PC via Steam, Playstation 4|5 e Mac Os. Chicory: A Colorful Tale, tem a segunda melhor avaliação no Metacritic de todos os jogos de PC lançados em 2021, até o momento deste artigo.

2. Ender Lilies: Quietus of the Knights

Desenvolvido pela Live Wire, Ender Lilies: Quietus of the Knights é um RPG de ação em 2D que gira em torno dos segredos e mistérios do Reino do Fim, destruído pelo fenômeno conhecido como Chuva da Morte.

Nessa aventura sombria, controlamos Lily, a sacerdotisa branca, única capaz de descorromper o mal e trazer seus inimigos para lutar ao seu lado. 

O jogo conta com diversos elementos do gênero Metroidvania, que portanto, conta com um grande foco em exploração, trazendo à tona as duas principais inspirações do jogo, Hollow Knight e Dark Souls, ou seja, uma mistura de dificuldade elevada com mapas interligados e muita exploração.

Ender Lilies: Quietus of the Knights está disponível para Playstation 4, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X e PC, e é com certeza um dos melhores jogos indies do ano.

RELACIONADOS
Road 96: vale a pena? Conferindo a história e o sistema de escolhas
11 jogos leves para dispositivos Android
Os 5 melhores jogos exclusivos do PS5 para 2022

3. Death’s Door

Em Death’s Door vivemos o papel de um Corvo que trabalha coletando almas. O jogo vira quando a sua alma designada é roubada, animando um pouco o Corvo que deve rastrear e capturar o ladrão.

Death’s Door é um rpg de ação com exploração onde enfrentamos os mais diversos tipos de monstros utilizando armas corpo-a-corpo, flechas e até magia. Através de portas mágicas você pode viajar para diversos lugares em busca de derrotar e capturar as almas de monstros colossais.

O jogo (versão PC) conta com uma nota de 86/100 baseado em 44 reviews no Metacritic até o momento. Death’s Door também está disponível para Xbox One e Xbox Series X.

Sua desenvolvedora, Acid Nerve, foi responsável por outro sucesso, o Titans Souls lançado em 2015. O game foi distribuído pela Devolver Digital, publisher famosa pelos games indies.

4. Cris Tales

Desenvolvido pela SYCK e Dreams Uncorporated e distribuído pela MODUS, Cris Tales é um presente para quem gosta dos jogos JRPGs como Chrono Trigger, Final Fantasy, Bravely Default ou até mesmo Persona 5, em uma aventura 2D desenhada à mão com mais de 20 horas de jogo.

Em Cris Tales conhecemos a princípio Crissbell, uma maga do tempo que vive em Crystallis, passando pelo passado, presente e futuro para enfrentar a imperatriz do tempo. Ao longo da jornada, a nossa protagonista deverá recrutar poderosos aliados e tomar decisões que podem mudar o rumo do mundo.

Cris Tales chegou em 20 de julho deste ano e dividiu muito a opinião do público. Acima de tudo o jogo é uma verdadeira carta de amor para os fãs dos clássicos jogos de JRPG, com uma mecânica muito interessante e gráficos feitos a mão.

5. Loop Hero

Loop Hero também foi distribuído pela Devolver, mas diferente de Death’s Door, o game foi desenvolvido pelo estúdio Four Quarters. Em Loop Hero nos deparamos com uma maldição que um vilão colocou no mundo onde todos vivem em um ciclo infinito.

O jogo dos estilos Roguelike e RPG foi um enorme sucesso entre os indies no começo do ano e trouxe uma jogabilidade criativa. Seu objetivo? Primeiramente, você deve aumentar um baralho de cartas místicas e em segundo lugar construir terrenos para assim salvar o mundo desse looping infinito.

Loop Hero é, sem dúvidas nenhuma, um dos melhores indies de 2021, trazendo um RPG inesquecível onde como resultado nos sentimos mais que um jogador, um criador de mundos.

Concluindo, jogos independente ganham a cada dia mais fama criatividade e fãs, trazendo jogo de qualidade tanto como os gigantes triple A.

Gabriel Cavalheiro

Redator de conteúdo no nicho de games. Devorador de jogos indies, mobile e de Mega Man.